Dicas de nutrição e saúde

O ser humano é uma máquina que, como qualquer outra, necessita de energia para desenvolver as mais diversas actividades – trabalhar, praticar desporto, andar, correr, falar, dormir, etc. É principalmente através da alimentação que conseguimos obter a energia de que precisamos.

 

Mas, antes de começar uma dieta para tentar perder alguns quilinhos supérfluos, é importante conhecer certos mecanismos orgânicos. De entre todos, os processos metabólicos revestem-se de especial interesse, quando falamos de regimes alimentares.

 

Quer a energia que provém da alimentação quer aquela que gastamos para executar as diversas actividades do nosso dia-a-dia são medidas em unidades, ás quais se convencionou chamar quilocalorias ( apesar de vulgarmente o termo caloria ser utilizado como equivalente de quilocaloria, a verdade é que esta última unidade representa 1000 calorias).

 

É de realçar que o consumo de energia aumenta tendo em conta diversos factores, quer de ordem física quer psicológica -como o esforço, a doença, a fadiga, o medo, a ansiedade, a depressão ou o stress.

 

Os nutrientes essenciais

 

As substâncias responsáveis pelo fornecimento de calorias ao organismo, os nossos “combustíveis” energéticos, dividem-se em: proteínas ou prótidos; gorduras ou lipidos; e hidratos de carbono ou glícidos.

 

Todavia, e porque nem só de calorias vive o ser humano, outros componentes alimentares existem que, agindo numa interacção constante, se revestem de suma importância para o nosso metabolismo e para o tecido cerebral. Contam-se, entre eles, as vitaminas e os saisminerais, mas também outras substancias de absoluto relevo, como as fibras ou a celulose e a água.

 

Todas estas substâncias têm o nome genérico de nutrientes e são essenciais para a nossa saúde.

 

Nunca se esqueça, no entanto, de que uma dieta alimentar correcta deve conter apenas aquantidade suficiente de todos os nutrientes de que o nosso organismo precisa ( nunca em excesso) e ser adequada a factores como a idade, o sexo, a constituição física, o estado de saúde e o estilo de vida – mais sedentário ou mais activo – de cada pessoa.

Leave a Reply